domingo, 23 de maio de 2010

Resultado concurso 1

Gente, aqui vai o resultado do nosso mini "concurso de textos, pouca gente mandou e eu e o PP ficamos na duvida entre esses dois textos, então vamos postar os dois.



Esse é do Gustavo Mendes:
(Ele) Eu acordo do meu sonho maravilhoso, abro vagarosamente meus olhos e não vejo ela. Lembrei! A mãe dela não deixou nós dormirmos no mesmo quarto. Eu cheguei da Inglaterra ontem, deixei tudo para trás, amigos, família, casa, tudo por ela. Chegando aqui no Canadá não tinha ainda um lugar para dormir, os pais dela ficaram bravos, mas deixaram. Somos namorados há 5 anos, a distância nunca empediu nada.
(Ele) Ontem eu deixei em baixo da porta do seu quarto um bilhete de códigos para nós nos comunicarmos. Resolvi testar hoje. Chego perto da parede, dando três batidas nela, que significam "eu te amo".
(Ela) Acordo ouvindo aquelas três batidas na parede, me lembro de ter ficado até tarde tentando decorar o código que ele me passou. Bato cinco vezes na parede, cada batida de um jeito diferente.
(Ele) Ela respondeu! Hum... vamos ver... 'Também'... 'te'... 'amo'." (Narrador) Mais que decidido, vai até a parede, com cuidado para não errar.
(Ela) É ele! Deixa eu ver... uma batida aqui, três longas, duas rápidas, uma em cima e outra embaixo isso dá..."amor"..."quer"..."se"...casar"..."comigo"..."?".
(Narrador) Sem pensar, ela deixa seu quarto, pouco se importando para as ordens de sua mãe. Corre para o quarto do lado, abre a porta salta para o encontro dele e depois do longo beijo, ela se aproxima dele e diz: (Ela) Eu acho que você não precisa de uma batida para saber a resposta, né?

Agora esse é do(a) Heyhey! : 
Todo dia era a mesma coisa. Sentia-me só, isolada. Por mais que as conhecesse, não conseguia mais me identificar com minhas melhores amigas. Tudo mudou muito depois que mudei de escola . Antes era bem mais calmo, as tardes eram divertidas, as aulas também, conseguia me concentrar muito mais. Minhas notas baixaram, meus pais estavam ficando preocupados, afinal, era uma ótima aluna até então. Algumas amigas minhas vieram comigo, mas não era a mesma coisa. Cada vez mais, fui me afastando, ficando mais reservada. NÓS fomos nos afastando, elas fizeram outras amizades. Chegou o dia que não falava mais com ninguém, ficava calada a aula inteira. A maioria do tempo, desenhava e apagava, rabiscos e traços que retratavam minhas antigas amigas, minha antiga vida. Estava chegando o fim do ano, notas insuficientes. Passei de ano por pouco, na repescagem da recuperação. A diretora chamou meus pais, nossa , meu mundo desmoronou. Estava começando a pensar em soluções, talvez acabar com isso tudo de uma vez. Essa altura meus pais já tinham contratado uma psicóloga. Falei sobre isso com ela, acho que foi a primeira vez que tratava dos meus problemas verdadeiros. Ela me falou que muitos adolescentes da minha idade tentam acabar com a pressão do dia-a-dia com isso. Só que não dava mais pra suportar. Minha cabeça poderia explodir a qualquer momento, literalmente. Passei as férias pensando sobre isso , e tomei uma decisão, acho que a mais importante da minha vida. Iria esperar a primeira semana de aula para me decidir. Suicídio: é uma coisa muito séria. Queria ver se alguma coisa tinha mudado , se minhas amigas iriam de repente, voltar a falar comigo, e voltaríamos a ser felizes, ou melhor, eu voltaria a ser feliz. Não voltaram e eu continuei sozinha nessa primeira semana de aula, última de vida. Na sexta feira, dia em que eu iria na farmácia comprar os remédios, sentei como no habitual , na última carteira perto da parede. Assisti a aula prestando um pouco mais de atenção, mas mesmo assim, não consegui entender muita coisa porque não sabia dos conteúdos dados anteriormente. Antes de ir embora tivemos aula de redação, em que tínhamos que fazer um parágrafo. O garoto mais popular da sala , em que todas as meninas eram apaixonadas, pediu para ler o seu, e para minha surpresa começava assim:

"Dedico para a pessoa mais incrivel que eu já conheci, e por favor , considere esse texto e sorria novamente."
Era para mim.
Hoje, disse "Eu aceito" para a única razão de eu não cometer suicídio.
Obrigada meu marido.
***
Os dois são lindos né? E gente, começam as novas inscrições para o concurso, mandem-nos emails, com seus textos e nos colocaremos aqui. O email é: surtandoedesabafando@ymail.com para que não lembra, haha. Beijo, beijo

Um comentário:

  1. aa , não sei qual é o melhor , os dois são muito perfeitos *-*
    parabéns para os dois !

    ResponderExcluir

Gostou? Não gostou? Tem algo para compartilhar? Sinta-se à vontade. Vou adorar saber o que passou na sua cabeça enquanto você lia esse post.